A Essência veio a visitar-nos

10 Jan 2019 in  Vinho

O Douro, as vinhas, o terroir, as nossas quintas, o centro de visitas em V. N. de Gaia, o passado, o presente e os projetos e sonhos para o futuro. Tudo isto é abordado no programa A Essência, que passou na RTP3, no dia 5 de janeiro!

Veja o programa e venha conhecer-nos melhor:

“A empresa mais portuguesa do vinho do Porto faz 100 anos”

Jul 04, 2018

“Um século de vida é assunto para mais do que uma geração. Desde 1918, a família Poças detém a empresa com o mesmo nome e é hoje o único grande produtor de vinhos do Porto e Douro cem por cento português – com todos os ramos da família representados no negócio. E eles garantem ao jornalista e crítico de vinhos Fernando Melo que estão prontos para mais cem anos”.

E estamos prontos para mais cem anos! Leia a notícia que Fernando Melo escreveu no Diário de notícias, e conheça-nos melhor: https://bit.ly/2lTmvbp

 

O canal V digital foi visitar o nosso centro de visitas!

Jul 30, 2018

Estreámo-nos na área do enoturismo em 2016, mas o nosso centro de visitas cresceu, tendo sido recentemente inaugurado!

Veja a visita que o Canal V digital nos fez!

Poças 1918. Vinho do Porto Muito velho.

Nov 29, 2018

Em ano de centenário, lançámos um Vinho do Porto Muito Velho, um momento simbólico que é uma celebração e homenagem à região e ao fundador da empresa, Manoel Domingues Poças Júnior.

O Poças 1918 agora lançado chegou à Poças quando o fundador da empresa, Manoel Domingues Poças Júnior, recebeu a Quinta das Quartas como pagamento de uma dívida. Entre o espólio entregue fazia parte um lote de Vinhos do Porto que foi guardado e tem hoje entre 90 e 100 anos.

É este vinho que é colocado no mercado, 100 unidades apenas, apresentadas em garrafa produzida pela Vista Alegre e caixa de madeira, de design inspirado na antiga licoreira do nosso fundador.

O Poças 1918 tem a complexidade, textura e personalidade fascinantes dos Vinhos do Porto muito antigos, refere o nosso enólogo, Jorge Pintão, lembrando também o património vínico da região: “São vinhos extraordinários que o Douro soube preservar, geração após geração, tesouros guardados e raridades que tive a alegria de provar”. Alguns com marca, outros de lavradores anónimos, estes vinhos do Porto muito antigos “ficam na memória e integram afetos intensos, como acontece com o Poças 1918, no meu caso”, acrescenta. “É como guardar uma joia que é de família”, conclui.

Veja as imagens desta nossa “joia”.

celebração e homenagem à região e ao

ano de

fundação da empresa

Créditos Jferrand