A grande novidade do ano é o lançamento do novo topo de gama Branco da Ribeira 2017 que na estreia recebe 93 pontos da Robert Parker’s WineAdvocate.

O crítico Mark Squires descreve o novo branco da seguinte forma:
“O que é que ganhamos subindo a este nível? Bem, tem mais madeira, mas a grande acidez do Arinto corta a madeira sem esforço. É muito límpido. Tem uma mordida forte no final e aquela fina acidez, que é precisa, elegante e bastante intensa. O final é muito longo. Num ano duro, parece um grande milagre. Também tem algum potencial de melhoria. Certamente que ainda se pode desenvolver—o que é uma coisa boa e necessária de se dizer sobre um vinho jovem nesta faixa de preços. Pode até envelhecer melhor do que se espera. Globalmente, é uma estreia formidável.”
– Mark Squires, Robert Parker’s Wine Advocate

Créditos: Jferrand

Poças Vintage 2016

Set 12, 2018
vintage16

A Revista de vinhos editou um artigo sobre os vinhos Porto Vintage 2016, na sequência de este ser o ano com a maior declaração de sempre (63 casas). O nosso Poças Vintage 2016, lançado recentemente, recebeu 18 pontos, sendo descrito como: “Rubi denso e impenetrável. Nariz muito fresco e primaveril com notas elegantes de amora, ameixa preta, chocolate, vapor de café, folha de tabaco e especiarias. A boca é sedosa, envolvente, gulosa, com taninos redondos mas firmes, num perfil de elegância em que sobressai a pujança da fruta e as notas especiadas. Um Vintage de estilo contemporâneo, domesticado e pronto a beber, mas que nem por isso deixará de crescer em garrafa nas próximas décadas”.

O nosso enólogo Jorge Pintão surge como um dos enólogos que marcam o Vinho do Porto.

ORIGEM: Portugal – Região Demarcada do Douro

DESCRIÇÃO: Vinho do Porto de uma só colheita, produzido apenas em anos de excecional qualidade. Envelhecido em vasilhas de carvalho, é engarrafado entre o segundo e o terceiro ano após a vindima. Durante o estágio em garrafa, vai gradualmente adquirindo o extraordinário estilo de um grande vinho de guarda.

ACOMPANHAMENTO: Ideal como vinho de sobremesa ou convívio, acompanha queijos de muito boa qualidade, doces e chocolates. Servir à temperatura ambiente (18ºC) após ter sido cuidadosamente decantado. Pode ser consumido desde já, ou aguardar uma favorável evolução na garrafa.

Novas Colheitas e Prémios

Nov 23, 2018

O ano do nosso centenário tem sido um ano de muitas novidades e também pleno de prémios e distinções para os vinhos da Poças. Veja aqui algumas referências:

Símbolo 2015

A edição de 2015 do nosso tinto topo de gama Símbolo que recebeu recentemente 94+ pontos da Robert Parker’s Wine Advocate e 94 pontos da Wine Enthusiast e 92 pontos da Wine Spectator.

Poças Reserva Tinto 2016

A edição de 2016 de um clássico, o Poças Reserva Tinto 2016, recebeu 92 pontos Wine Enthusiast e 92 pontos Robert Parker’s Wine Advocate.

Poças Porto Vintage 2016

Em ano declarado como Vintage, o recém-lançado Poças Porto Vintage 2016 surge na posição #30, na lista dos 100 Melhores Vinhos de 2018 da revista WineEnthusiast , com uma avaliação excelente de 96 pontos de Roger Voss.  Recebeu ainda 96 pontos da Wine Enthusiast, 93 pontos do Robert Parker’s Wine Advocate, 93 pontos da Wine Spectator e 17.5 pontos (em 20) da Revista Grandes Escolhas.

Poças Colheita 2008

O mais recente Poças Colheita (2008) a chegar ao mercado recebeu 92 pontos da Robert Parker’s Wine Advocate e 91 pontos da Wine Enthusiast.

Coroa d’Ouro e Vale de Cavalos

Chegam também ao mercado as novas colheitas do Coroa d’Ouro Branco 2017 e Coroa d’Ouro Tinto 2016 (15.5 Pontos da Grandes Escolhas) e do Vale de Cavalos Branco 2017 e Vale de Cavalos Tinto 2016 (16 pontos da Grandes Escolhas).

Outras distinções:

  • Poças LBV 2013: 90 Pontos Robert Parker’s Wine Advocate
  • Poças Porto Colheita 1995: 16.5 Pontos Grandes escolhas

Jantar comemorativo dos 100 anos reúne clientes, amigos e produtores

Set 30, 2018

Integrado num programa alargado de atividades comemorativas que decorrem ao longo de 2018, o jantar dos 100 anos da Poças reuniu na antiga casa dos avós da escritora Sophia de Mello Breyner, hoje propriedade da Universidade do Porto e sede do jardim botânico daquela cidade, mais de uma centena de clientes, fornecedores e amigos da empresa, entre eles vários produtores do Douro.

Uma escolha com simbolismo, cruzando lugares e experiências e mostrando que o vinho fica bem entre cultura e família. Sim, porque a associação à arte e à família tem sido o fio condutor do programa cultural promovido como celebração do centenário, envolvendo artistas como os Capitão Fausto, Afonso Reis Cabral, Companhia de Teatro do Bolhão ou Bordalo II.

E porque celebrar 100 anos também é narrar histórias, este foi um jantar de memórias do passado, muitas memórias, mas sem esquecer também os desafios do futuro.

Créditos: Jferrand