No fim de junho tivemos um almoço de apresentação dos nossos vinhos no nosso centro de visitas. Para além de mostrar as nossas novidades, foi uma oportunidade para mostrar as nossas novas instalações!

Apresentámos o novo vinho Branco da Ribeira 2017, que será o novo vinho topo de gama branco. Produzido a partir de uvas de solo granítico, este vinho pretende enaltecer a diversidade do terroir do Douro e uma homenagem à tenacidade da região. O vinho estará disponível no outono.

Também foi o momento do lançamento dos vinhos Coroa d’Ouro Branco 2017, Coroa d’Ouro Tinto 2016, Vale de cavalos Branco 2017, Vale de cavalos Tinto 2016 e Porto Vintage 2016.

Créditos: Jferrand

Jantar comemorativo dos 100 anos reúne clientes, amigos e produtores

Set 30, 2018

Integrado num programa alargado de atividades comemorativas que decorrem ao longo de 2018, o jantar dos 100 anos da Poças reuniu na antiga casa dos avós da escritora Sophia de Mello Breyner, hoje propriedade da Universidade do Porto e sede do jardim botânico daquela cidade, mais de uma centena de clientes, fornecedores e amigos da empresa, entre eles vários produtores do Douro.

Uma escolha com simbolismo, cruzando lugares e experiências e mostrando que o vinho fica bem entre cultura e família. Sim, porque a associação à arte e à família tem sido o fio condutor do programa cultural promovido como celebração do centenário, envolvendo artistas como os Capitão Fausto, Afonso Reis Cabral, Companhia de Teatro do Bolhão ou Bordalo II.

E porque celebrar 100 anos também é narrar histórias, este foi um jantar de memórias do passado, muitas memórias, mas sem esquecer também os desafios do futuro.

Créditos: Jferrand

São 100 Anos, Poças!

Mai 01, 2018

Poças celebra 100 anos com programa dedicado à cultura.

No ano em que comemora o 100º aniversário, a Poças vai promover um conjunto de iniciativas ligadas à arte e à cultura, revelando novos talentos e homenageando o conceito de legado familiar. 

O programa cultural estende-se à literatura, música, arte pública e teatro. Para cada uma destas áreas, foi convidado um artista que, além de ser também ele herdeiro de um talento familiar, representa atualmente o passado, o presente e o futuro da sua arte.

No capítulo da literatura, a escolha recaiu sobre o jovem escritor Afonso Reis Cabral, vencedor do Prémio Leya em 2014 com o romance “O Meu Irmão”. É trineto de Eça de Queiroz, mas a genética, por si só, não explica tudo. Afonso encontrou o seu próprio caminho e é hoje uma das promessas da Literatura portuguesa, estando já marcado o lançamento de um novo livro para o final do ano. 

“O respeito pela arte e pela cultura é um dos maiores legados deixado pelo nosso bisavô. Talvez porque, para nós, fazer vinho seja mesmo isso: uma forma de arte e um ativo vivo da nossa cultura. Por isso, na passagem do centenário, queremos homenageá-la em várias frentes, identificando pessoas que, tal como nós, estejam a reinventar uma vocação familiar.”

– Pedro Poças Pintão, 4ª geração da família Poças

Das artes de palco, a inspiração chegou de Tomás Wallenstein, identificado como uma das vozes da sua geração. Filho de uma cantora lírica e de um contrabaixista, foi também na música que o seu talento se revelou e aos 26 anos é a voz dos Capitão Fausto, uma das bandas mais influentes da atualidade e que este ano acrescenta um novo disco ao seu portefólio. 

Símbolo de uma geração é também o artista Artur Silva, hoje reconhecido por Bordalo II, nome artístico que escolheu como homenagem ao avô, pintor, promovendo uma continuidade e reinvenção do seu legado artístico. Distanciando-se da pintura clássica, a arte pública viria a ser o palco eleito para as suas explorações de cor, focando-se atualmente no questionamento da sociedade materialista de que faz (também) parte. 

Num outro palco, as cortinas abrem-se para revelar não um, mas vários talentos familiares. É no Teatro do Bolhão que a ACE (Academia Contemporânea do Espetáculo) se afirma como uma das principais escolas de artes performativas do país, formando gerações. Avós, pais e filhos contracenam juntos, mostrando que o Teatro está vivo e continua a desempenhar um importante papel na formação da sociedade.  

Para cada uma destas áreas – literatura, música, arte pública e teatro – estão reservadas várias ações, entre as quais diversos eventos gratuitos para o público, convidando-o a celebrar o centenário com a empresa. Todas as informações serão reveladas nos canais online da Poças, com especial destaque para o site 100.pocas.pt, que além da informação sobre a efeméride se pretende assumir como um ponto de encontro cultural.

Ver programa cultural

Novo lançamento: Poças Branco da Ribeira 2017

Nov 15, 2018

A grande novidade do ano é o lançamento do novo topo de gama Branco da Ribeira 2017 que na estreia recebe 93 pontos da Robert Parker’s WineAdvocate.

O crítico Mark Squires descreve o novo branco da seguinte forma:
“O que é que ganhamos subindo a este nível? Bem, tem mais madeira, mas a grande acidez do Arinto corta a madeira sem esforço. É muito límpido. Tem uma mordida forte no final e aquela fina acidez, que é precisa, elegante e bastante intensa. O final é muito longo. Num ano duro, parece um grande milagre. Também tem algum potencial de melhoria. Certamente que ainda se pode desenvolver—o que é uma coisa boa e necessária de se dizer sobre um vinho jovem nesta faixa de preços. Pode até envelhecer melhor do que se espera. Globalmente, é uma estreia formidável.”
– Mark Squires, Robert Parker’s Wine Advocate

Créditos: Jferrand