A apresentação de vinhos que fizemos este mês, em Lisboa, foi muito especial, pois aproveitámos a celebração dos cem anos da Poças para o lançamento de vinhos DOC Douro de qualidade superior.

O Branco da Ribeira 2017 (pode ver aqui a crítica que Mark Squires, Robert Parker’s Wine Advocate escreveu), o nosso novo topo de gama, apresenta-se com volume e acidez muito viva, reflexo do lugar que lhe dá origem, uma parcela da Quinta Vale de Cavalos, em Numão, no Douro Superior, a 520 metros de altitude e de solos graníticos pouco comuns no Douro.

O Símbolo 2015 é o tinto topo de gama do centenário, segunda edição. Produzido a partir de uvas colhidas na Quinta de Santa Bárbara, no Cima Corgo, o novo Símbolo reflete o ano vínico 2015, com maturações plenas mais cedo do que em 2014, proporcionando um vinho possante e que apresenta já uma expressão aromática completa. Um brinde da natureza para os 100 anos da Poças, brinca o nosso enólogo Jorge Pintão: “O Símbolo 2015 está muito completo e é já muito agradável à prova”.

Durante a apresentação de vinhos estiveram ainda em prova os seguintes vinhos:

  • Poças Reserva tinto 2016
  • Poças 10 Years Old White
  • Poças LBV 2013
  • Poças Colheita 2008

E, claro, o nosso Vinho do Porto Muito Velho, Poças 1918, cuja informação pode ler aqui.

Créditos: Jferrand

Novas Colheitas e Prémios

Nov 23, 2018

O ano do nosso centenário tem sido um ano de muitas novidades e também pleno de prémios e distinções para os vinhos da Poças. Veja aqui algumas referências:

Símbolo 2015

A edição de 2015 do nosso tinto topo de gama Símbolo que recebeu recentemente 94+ pontos da Robert Parker’s Wine Advocate e 94 pontos da Wine Enthusiast e 92 pontos da Wine Spectator.

Poças Reserva Tinto 2016

A edição de 2016 de um clássico, o Poças Reserva Tinto 2016, recebeu 92 pontos Wine Enthusiast e 92 pontos Robert Parker’s Wine Advocate.

Poças Porto Vintage 2016

Em ano declarado como Vintage, o recém-lançado Poças Porto Vintage 2016 surge na posição #30, na lista dos 100 Melhores Vinhos de 2018 da revista WineEnthusiast , com uma avaliação excelente de 96 pontos de Roger Voss.  Recebeu ainda 96 pontos da Wine Enthusiast, 93 pontos do Robert Parker’s Wine Advocate, 93 pontos da Wine Spectator e 17.5 pontos (em 20) da Revista Grandes Escolhas.

Poças Colheita 2008

O mais recente Poças Colheita (2008) a chegar ao mercado recebeu 92 pontos da Robert Parker’s Wine Advocate e 91 pontos da Wine Enthusiast.

Coroa d’Ouro e Vale de Cavalos

Chegam também ao mercado as novas colheitas do Coroa d’Ouro Branco 2017 e Coroa d’Ouro Tinto 2016 (15.5 Pontos da Grandes Escolhas) e do Vale de Cavalos Branco 2017 e Vale de Cavalos Tinto 2016 (16 pontos da Grandes Escolhas).

Outras distinções:

  • Poças LBV 2013: 90 Pontos Robert Parker’s Wine Advocate
  • Poças Porto Colheita 1995: 16.5 Pontos Grandes escolhas

Urban Sketchers no Jantar Comemorativo no Jardim Botânico

Out 03, 2018

Durante o jantar comemorativo dos 100 anos, no Jardim Botânico, tivemos connosco um grupo de Urban Sketchers.

Veja a nossa galeria de imagens e as diversas perspetivas e técnicas utilizadas por estes artistas!

Poças 1918. Vinho do Porto Muito velho.

Nov 29, 2018

Em ano de centenário, lançámos um Vinho do Porto Muito Velho, um momento simbólico que é uma celebração e homenagem à região e ao fundador da empresa, Manoel Domingues Poças Júnior.

O Poças 1918 agora lançado chegou à Poças quando o fundador da empresa, Manoel Domingues Poças Júnior, recebeu a Quinta das Quartas como pagamento de uma dívida. Entre o espólio entregue fazia parte um lote de Vinhos do Porto que foi guardado e tem hoje entre 90 e 100 anos.

É este vinho que é colocado no mercado, 100 unidades apenas, apresentadas em garrafa produzida pela Vista Alegre e caixa de madeira, de design inspirado na antiga licoreira do nosso fundador.

O Poças 1918 tem a complexidade, textura e personalidade fascinantes dos Vinhos do Porto muito antigos, refere o nosso enólogo, Jorge Pintão, lembrando também o património vínico da região: “São vinhos extraordinários que o Douro soube preservar, geração após geração, tesouros guardados e raridades que tive a alegria de provar”. Alguns com marca, outros de lavradores anónimos, estes vinhos do Porto muito antigos “ficam na memória e integram afetos intensos, como acontece com o Poças 1918, no meu caso”, acrescenta. “É como guardar uma joia que é de família”, conclui.

Veja as imagens desta nossa “joia”.

celebração e homenagem à região e ao

ano de

fundação da empresa

Créditos Jferrand